segunda-feira, 20 de abril de 2015

"hoje, à semelhança de todos os jogos, com a única exceção do jogo da luz"

“limpámos hoje a má imagem deixada na luz, inclusivamente, tivemos até uma atitude muito mais séria hoje do que na semana passada…”
Nuno Piloto, jogador da Académica

“hoje, à semelhança de todos os jogos, com a única exceção do jogo da luz, tivemos uma grande atitude, jogando no campo todo, sem nenhum medo de perder…”
Viterbo, treinador da Académica

Estão eles a admitir que não foram sérios no jogo que realizaram na casa da agremiação corrupta ?
Não podemos deixar de destacar este acto de contrição.

Enquanto isso, no Restelo...

terça-feira, 14 de abril de 2015

Ramos Lopes: “Benfiquistas deviam ter vergonha”

Vergonha é algo que não há na agremiação corrupta.

Ramos Lopes, antigo presidente do Belenenses, mostrou-se, hoje, em declarações ao Jornal Record, totalmente contra à atual política de cedências de jogadores. Em vésperas de mais um dérbi lisboeta, e depois de na 1.ª volta os azuis terem poupado Miguel Rosa e Deyverson no duelo com os encarnados, o antigo líder criticou este tipo de acordos. “É uma vergonha que os jogadores que têm um pré-acordo com o Benfica não participem neste jogo. O caso do Dálcio, por exemplo, não faz sentido pois foi criado no Restelo e nunca teve qualquer ligação ao Benfica. Não se justifica, de maneira nenhuma, esta situação”, criticando mesmo a posição do adversário: “Os benfiquistas deviam ter vergonha desta situação. Se fosse eu que mandasse, isto nunca aconteceria pois não permitiria que alguém colocasse em causa a dignidade do Belenenses.”

três 'lesões' e dois casos disciplinares em  vésperas de receber a agremiação



domingo, 12 de abril de 2015

Mais uma jornada da Liga Colinho

Mesmo perante uma fraca Académica foi necessário recorrer ao expediente habitual.

Empurrão de Jonas. Falta clara que não foi assinalada pelo árbitro.
Mergulho de Lima, premiado com uma grane penalidade.

quarta-feira, 18 de março de 2015

O paradigma da batota

O antigo árbitro internacional Pierluigi Collina apresentou a agremiação corrupta como o exemplo de batota nas bolas paradas, usando bloqueios ilegais que devem ser sancionados.

A este respeito, recordamos as palavras do técnico Vitor Pereira.

terça-feira, 17 de março de 2015

Lito Vidigal não compactua com subserviências à agremiação corrupta

Lito Vidigal bate com a porta na semana em que foi tornada pública a venda à agremiação corruupta de dois jogadores do Belenenses em data próxima de ambas as equipas se defrontarem para a Liga nacional.
Esta venda é mais um exemplo da subserviência de alguns clubes à agremiação e dos meios que esta utiliza para chegar aos seus fins.

Louvamos a atitude do treinador Lito Vidigal em não compactuar com esta situação.

O penalti mais ridículo de sempre ?

Baldé, jogador da equipa de sub-19 da agremiação corrupta, proporciona um bom momento de humor ao marcar de forma ridícula a grande penalidade.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Arouca perde 4 jogadores para a próxima jornada

E adivinhem lá com quem vai o Arouca jogar ....

* agradecemos a correcção

Enzo regressa

E logo com um amarelo. Como há pouco tempo recordamos, Enzo esteve já suspenso por acumulação de amarelos.
Assim, desde que foi para Espanha já conta com 6 amarelos em 8 jogos, ultrapassando já o número de cartões que lhe foram apresentados no campeonato português.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Na 2º Liga são os mesmos que decidem os jogos da agremiação

O Atlético vai solicitar uma reunião ao Conselho de Arbitragem da Federação Portugues de Futebol por entender que tem vindo ser prejudicado pelo trabalhos dos árbitros nomeados para os últimos jogos, no qual destaca Cosme Machado.

O árbitro do encontro disputado na quarta-feira (derrota por 3-2, em casa) é acusado de dualidade de critérios e de ter influenciado o resultado ao assinalar penálti "que só ele viu".

Deixamos agora a nota enviada às redações, assinada pelo diretor desportivo Admar Hipólito:

"O Atlético Clube de Portugal . Futebol SAD tem vindo a ser prejudicado nas arbitragens dos últimos jogos, como foi mais uma vez no jogo de ontem com o Benfica B, em que o Sr. Cosme Machado utilizou uma dualidade de critérios gritante na amostragem dos cartões amarelos, em que as faltas foram sempre apreciadas de forma diferente, alem disso marcou um penalty que só ele viu, e que influenciou o decurso do encontro, e consequentemente o resultado final.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

"Hoje, com os cartões amarelos, a dupla de centrais está fora do próximo jogo."

José Couceiro, treinador do Estoril Praia.

E com quem será o próximo jogo ? Não é preciso ser o Zandinga para adivinhar.

E para precaver, ainda nomeiam o Capela para o jogo.


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

José Sá, Mika, ...

São tantos os exemplos...

O primeiro título nacional do Benfica foi extorquido ao Barreirense

Retirado do site do F. C. Barreirense e que denuncia mais uma manobra da agremiação corrupta para conquistar o seu primeiro título nacional.

Uma história feita de "manobras sujas" como esta que aqui é denunciada.

Reportamo-nos hoje à que no Barreiro foi a tão tristemente célebre temporada de 1929/30, quando ao Barreirensezinho foi simplesmente “rapado” o título de campeão nacional de futebol. Quase não dá para acreditar como a “coisa” se passou... (O que – como é óbvio – não se encontra devidamente reportado nos livros próprios, por ser - como tão amiúde se passa na política - “bastante incorrecto” escrever a verdade).

Os torneios máximos de futebol (em que o Benfica até então não se sagrara campeão!) eram disputados em eliminatórias, ainda não por pontos... Neste 1929/30, o Barreirense venceu o Distrital, levando a melhor no último encontro, em 22 Junho 1930, no Montijo, sobre o valoroso Vitória sadino por 3-0. Na final da relevante Taça Caridade, disputada em 2 Fev. 1930 no Campo Grande, o Barreirense superou à vontade o Sporting lisboeta por 5-1. (A tão bela Taça Caridade encontra-se em bem destacado posto no Salão de Honra do Ginásio-Sede). 
 
Seguiu-se o Campeonato Nacional, tendo o Barreirense afastado sucessivamente os Unidos do Barreiro, o Comércio e Indústria, o Luso F. C., o União de Coimbra, o Boavista, o Sporting de Espinho, e derrotado na meia-final (em duas partidas) o Belenenses, campeão de Lisboa (!). E, sem qualquer derrota ao longo da temporada (!), o F.C.B. vai defrontar as águias lisboetas na finalíssima do nono nacional do desporto-rei. Agora... Segundo o regulamento, essa partida deveria ser disputada em campo neutro. Mas a Associação de Futebol de Lisboa marcou o encontro para o ... Campo Grande, o terreno de jogos do ... Benfica. O benfiquista João de Oliveira (um dos dois irmãos “Bananeiras”) estava suspenso por, semanas antes, ter agredido um árbitro em jogo. À última da hora, este Oliveira foi ... “amnistiado” do seu castigo de oito meses (!) a fim de poder alinhar na final contra o Barreirense. E – o que foi o cúmulo – para árbitro foi designado Silvestre Rosmaninho, um dos sócios mais antigos do Benfica (!). Os protestos do Barreirense caíram em saco roto.  

Em 1999 entrevistámos para outro semanário o keeper do F. C. B., o nosso tão saudoso amigo Francisco Câmara. É dele a frase: “O primeiro título nacional do Benfica foi extorquido ao Barreirense”, que aqui repetimos. Chico bem se recordava ... Quanto ao jogo, Zé “Toupeira” inaugurou o marcador para os camarros. O Benfica empatou, num lance ilegal sancionado por Rosmaninho em que adversários empurraram Câmara para dentro da baliza antes da bola entrar! No prolongamento, o ... “amnistiado” João “Bananeira” marcou o segundo tento benfiquista. Com tal arbítrio os barreirenses baixaram os braços. Veio o 1-3 final. E Chico Câmara adiantou: “Passados uns anos leu-se que ... Silvestre Rosmaninho ... fora galardoado pelo seu clube com a Águia de Ouro”. O seu a seu dono. E o Barreirense não foi, nunca seria campeão nacional.  
 
Esta “derrota suja” ficou para sempre cravada na garganta de barreirenses. Sentimos o dever de lembrá-la agora, quando do centenário. Bem, hoje, o poder dos “grandes” da bola, não se processa tão às claras... É mais refinado... (Note-se que estas facetas inconcebíveis referentes à finalíssima do Nacional de 1929/30 não se encontram reportadas no óptimo livro “70 anos de Vida do Futebol Clube Barreirense”, de Rosa Figueiredo). 
 
Como treinador dos alvi-rubros continuava o insigne eng. Augusto Sabo (que em breve deverá ser incluído nos vinculadosaobarreiro.com). Jacinto Nicola Covacich encontrava-se à frente da Direcção do Clube. A Sede do F. C. B. ainda se situava no amplo primeiro andar do lado ocidental do Largo Casal. 
 
Nota: Em 1934, o F.C.B. atingiria, pela segunda vez, a final do Campeonato de Portugal, tendo sido derrotado por 3-4 contra o Sporting. Quase na conclusão do tempo regulamentar, os rubro-brancos remataram à trave. Foi azar... Houve prolongamento, no qual o avançado-centro sportinguista – natural do ... Barreiro! – enfiou a sua quarta e última bola na baliza de Chico Câmara. Ora bolas..., para sempre.