segunda-feira, 3 de março de 2008

Pedalada à Benfica

Não obstante todo o esforço da agremiação e da sempre conivente comunicação social o uso do doping por parte da agremiação da luz já é bem conhecida além fronteiras.

" A equipa do Benfica viu recusada pela UCI (União Ciclista Internacional) o "wild card" que lhe permitiria, como equipa Continental, disputar esta época algumas provas do calendário ProTour. A ausência de resultados desportivos, a presença na equipa de Ruben Plaz (indiciado na Operação Puerto) e recentes casos de doping envolvendo ciclistas do clube da Luz terão estado na origem do "não" da UCI. "

8 comentários:

Anónimo disse...

filhinho da putinha

o teu clube é uma bardamerda pá

dedica-te ao atletismo

a vossa maior glória é o fernando mamerdas coitados

vocés não se enxergam realmente

consultem um psiquiatra rapidamente gentinha estúpida e ignóbil

Azinhaga disse...

este benfica é uma verdadeira escola de doping

Jorge Freitas disse...

Este anónimo é gay? Parece ser do clubinho mafioso por isso além de idiota é paneleiro! Gostas de lamber pilas seu maricão lampião? Mafiosos, so ganham a roubar e com a ajuda dos jornalistas chupa-pilas! Coitados mafiosos, gastam milhoes e só levam na peida! Mas como gostam acham-se os maiores!! Paneleiro queres ir levar na peida sua puta!

Anónimo disse...

Vieira, com a colaboração de Camacho (um clone por certo), Trapattoni e Koeman, elaborou um projecto de recuperação que merece aplausos. A equipa bateu no fundo no final da década de 90, mas em poucos anos ressurgiu a nível nacional e internacional. Há apenas dois anos, o Benfica dava cartas na Europa, derrotando o Man Utd e o Liverpool. No ano passado já houve sinais de declínio, mas esta época traz um lamentável déjà vu: um Benfica despersonalizado e frágil, que treme como varas verdes perante equipas europeias medianas.

Anónimo disse...

"Caso Joana
Inspectores da PJ acusados de torturarem Leonor Cipriano vão a julgamento
O Ministério Público acusa os inspectores de alegadas agressões a Leonor Cipriano em Outubro de 2004, que terão sido cometidas durante os interrogatórios à mãe da menina, com o objectivo de obter uma confissão.
15:11 | Sexta-feira, 22 de Fev de 2008

Arquivo Expresso
Leonor Cipriano

Os quatro inspectores da Polícia Judiciária acusados de terem torturado Leonor Cipriano e um outro por alegadamente não ter denunciado o crime foram pronunciados para julgamento, disse esta sexta-feira à Lusa fonte ligada ao processo.
O caso foi objecto de debate instrutório concluído a 11 de Fevereiro, em Faro, durante o qual um dos advogados de defesa, António Pragal Colaço, acusou a juíza de instrução, Ana Lúcia Cruz, de ter tomado a decisão de os levar a julgamento ainda antes do debate.
Além de quatro inspectores da Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa, o Ministério Público entendeu também acusar o ex-coordenador da Polícia Judiciária de Portimão, Gonçalo Amaral, de não ter denunciado o caso.
O Ministério Público acusa os inspectores de alegadas agressões a Leonor Cipriano em Outubro de 2004, que terão sido cometidas durante os interrogatórios à mãe da menina, com o objectivo de obter uma confissão.
Os cinco elementos da Polícia Judiciária estão acusados de tortura, omissão de auxílio e falsificação de documento.
Tal como o seu irmão, João Cipriano, Leonor Cipriano foi condenada a 16 anos de prisão pela morte da sua filha, Joana, em Figueira, concelho de Portimão."


-Esta notícia é veiculada pelo Expresso desta semana e apresenta fotografias ilustrativas dos métodos utilizados para "obter informações"...Pelos vistos a PJ de Lisboa é muito "limpinha e directa" nos interrogatórios que faz ao contrário -segundo eles - dos que são efectuados no Porto...Pergunto: será que é assim que a MJM pretende alguma confissão de JNPCosta?...Atenção Ana Salgado!...Trancas à porta...

Anónimo disse...

Então e o gajo do Hoquei do Porto, não conta? Esse devia andar a tomar aspirinas e enganou-se!

JL_72 disse...

o Mike é a mais recente vitima do clube do doping

JL_72 disse...

o nojento lampiao paraty novamente a ser decesivo