quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Ainda a propósito do jogo no Algarve

Na sequência de uma abordagem às duas faltas violentas de Maxi Pereira, e que deviam ter conduzido à sua expulsão ainda na 1º parte, um dos nossos leitores recordou-nos o seguinte:

Ele [Cunha Leal] foi mandado para a Liga pelo presidente do Benfica para contrariar o poder do major. (…) Se não soubesse ao que ia e se cumprisse o seu dever de isenção, não teria autorizado a farsa que constituiu a marcação do Estoril-Benfica para o Algarve, na jornada 30 do campeonato de 2004-05, cujo desfecho foi decisivo para a atribuição do título nessa temporada.
Rui Santos


Recorde-se que Cunha Leal era na altura o Director Executivo da Liga de CLubes

2 comentários:

Aurelio Estorninho disse...

Benfica apelou aos adeptos para não comparecerem nos jogos fora. Árbitros acedem e não vão ao Dragão.

Anónimo disse...

"“Ele [Cunha Leal] foi mandado para a Liga pelo presidente do Benfica para contrariar o poder do major. (…)"


QUE GRANDE NOVIDADE!
O ORELHAS INICIALMENTE FEZ-SE AMIGUINHO DO MAJOR, MAS ERA SÓ PARA METER LÁ AS "CUNHAS" E CONQUISTAR O PODER DA LIGA. ELE SEMPRE DISSE QUE LHE INTERESSAVAM MAIS OS LUGARES NA LIGA.

ASSIM QUE NÃO PRECISOU MAIS DO MAJOR (O JOÃO...O JOÃO PODE SER) MANDOU-O DAR UMA CURVA.
NÃO SE IMPORTOU DE LHE ESPETAR FACAS NAS COSTAS E ANDAR A DIFAMÁ-LO, INSULTÁ-LO, ETC