terça-feira, 19 de março de 2013

Quando a liberdade incomoda


São sempre os mesmos que se sentem incomodados e acossados com a liberdade de informação.

Este comunicado é elucidativo daquilo que se pode esperar na próxima época, de um canal de informação controlado pela agremiação corrupta e da censura que irá pender sobre os jogos da agremiação em casa:

"Ponto prévio a tudo quanto mais à frente vai ser exposto: o Sport Lisboa e Benfica condena, como sempre condenou, qualquer tipo de violência. A SIC apresentou, no passado sábado, um “exclusivo” no seu principal bloco informativo. O exclusivo não resultou de qualquer trabalho jornalístico, resumiu-se apenas à transmissão de imagens que foram “entregues” a um jornalista da redacção da SIC no Porto. A SIC limitou-se a reproduzir imagens que alguém tinha interesse em que fossem difundidas. Ao contrário do que mandam as normas deontológicas que regem a profissão, a SIC avançou com as imagens sem que de forma idónea pudesse constatar coisas tão básicas como se as imagens tinham sido previamente seleccionadas e editadas, o tempo e as circunstâncias das mesmas. Também teria ficado bem à SIC avisar os telespectadores que as imagens lhes tinham sido facultadas. Foi pena a SIC não ter querido fazer um trabalho exaustivo sobre a violência nos campeonatos nacionais de futebol deste ano e o seu denominador comum: Braga B-Leixões, Braga B-Belenenses, Vitória de Guimarães B-Braga B, Braga–Paços de Ferreira e, ainda este fim-de-semana, o Braga B-Sporting B. Posto isto, fica claro para o Sport Lisboa e Benfica que: a) A SIC prestou no sábado, de forma assumida, um serviço a alguém; b) Que não quis fazer um trabalho sério sobre a violência no futebol português; c) Que o Ministério Público deve investigar as imagens difundidas pela SIC em forma de antena de “aluguer”, as suas causas, o enquadramento em que tudo aquilo se verificou, mas também o crime que está por detrás da exibição dessas mesmas imagens."

80 comentários:

Anónimo disse...

um clube herdeiro e orfão da PIDE-DGS, Rosa Casaco, Silva Pais, Gonçalves Rapazote e etc, nunca se adapta completamente à liberdade de imprensa...

em vez de acharem mal que a imprensa tenha esperado quase 1 mês para divulgar essas imagens claras, em vez disso ainda culpam a SIC por fazer o seu trabalho e a sua obrigação (com semanas de atraso)

jovens armados com ferros e bastões, jovens que agridem seguranças com socos, pontapés e artes marciais, mas a culpa não é deles coitados...é dos seguranças do Braga, malandros!

toda a gente sabe que a violência é exclusiva dos bárbaros de clubes de província e que lá em baixo, no auge da "civilização", estas coisas não acontecem, são todos muito bem comportadinhos.

Anónimo disse...

já agora, não metem as imagens da rídicula expulsão do Kanu ou do penalty do Jardel?

Anónimo disse...

no tópico anterior a este, além do Villas-Boas, faltou mencionar que o Filipe Augusto também fica de fora no jogo com a agremiação corrupta por ter visto 5ºamarelo!

é demais, já é uma lista interminável de casos.
são ao todo 12 expulsões e creio que 6 5ºamarelos, o que perfaz 18 impedimentos de defrontar a agremiação corrupta.
assim, é claro que qualquer um é campeão.

Anónimo disse...

O jogo de interesses é por demais que sujo::: Dizem que não á Cartel! que frase mais Nogenta: ele á Cartel Nos Bancos,á cartel nas Gasolineiras, á cartel na Programação televisiva: eles até dão a Parecença de que: é Pá a concorrençia está a dar isto assim assim;Muda já para o mesmo, se não vejam :: alterem na vossa Tv Entre os Canais; RTP N, SIC.N, TVI e logo topam que estão todos a darem a Mesma Merda ao mesmo tempo. Ou seja : temos que levar com eles.É a Merda que temos e por Norma a Merda serve a Merda e neste aspecto eles Servem-se dos Atrasados mentais Passarinhos de Carnide ,que é o Prato Favorito para Ótário

Anónimo disse...

Se repudias a corrupção, financiamentos da camâra de Gaia, o doping e a batota COMENTA:

Já agora, quantos jogadores foram impedidos de jogar contra os tripas? Seria interessante divulgar esses dados. E quantos penalties têm assinlados contra? E vermelhos?

Anónimo disse...

vermelhos, basta lembrar aquela expulsão rídicula do Mangala em Aveiro.

financiamentos da câmara de Gaia é preciso uma cara-de-pau do caralho para falar nisso, com escândalos da EPUL, Carmona, Santana Lopes, câmara do Seixal, Caixa Geral de Depósitos, etc

penalties, é ir ver quantos já teve o recordista Boifica este ano, ainda não fiz as contas, mas creio que já anda à volta de 10 aproximadamente.

18 jogadores impedidos de jogar contra a agremiação só esta época e só para o campeonato, convenhamos que é um record quase impossível de igualar, quanto mais superar...

minutos em superioridade numérica, pelas minhas contas já vai em mais de 200 e só para o campeonato.

Anónimo disse...

Se repudias a corrupção, financiamentos da camâra de Gaia, o doping, a batota, conselhos matrimoniais a árbitros, viagens ao Brasil pagas a árbitros COMENTA:

Realmente se o ridiculo pagasse imposto, este país estaria na linha da frente...depois de terem um centro de estágio construido com o dinheiro de todos nós, oferecido de bandeja ao FCP, com um aluguer ridiculo de 500 euros mensais (deve ser o gasto diário em água), depois de todos os escândalos do vosso amigalhaço Nuno Cardoso falar que o compadrio entre politica e futebol é exclusivo do Benfica, além de revelar total parcialidade, revela também ignorância! Eu pelo menos consigo ver que isso é mais um problema do nosso país, a maior parte dos politicos baixam as calças aos dirigentes de futebol (sejam eles que forem) e o povo é que se lixa.


Penalties a favor do Benfica são de facto 10, apenas mais um do que o FCP tem...por outro lado penalties contra o FCP nem 1 único, o que após 23 jornadas é obra!!! Usando palavras tuas, é um record quase impossível de igualar. O mesmo em relação aos vermelhos, 1 único mostrado ao Mangala, aos 90 min do jogo com o Beira-mar, quando o resultado estava feito. Importante realcar que Mangal não mercecia esse cartão mas podia e deveria ter sido expulso (2º amarelo) nesse jogo
num lance aos 60 min

Continuo é à espera do numero total de jogadores impedidos de jogar contra o Porto!

Anónimo disse...

Se repudias a corrupção, financiamentos da câmara de Lisboa, Seixal e CGD, o doping, a batota, pedidos telefónicos de árbitros, automóveis pagos a árbitros COMENTA:

Realmente se o ridiculo pagasse imposto, este país estaria na linha da frente...depois de terem um centro de estágio construido com o dinheiro de todos nós, oferecido de bandeja ao 5LB, em troca pelo naming do sapal (o gasto diário em água não sei qual é, até porque...nem o pagam), depois de todos os escândalos do vosso amigalhaço Carmona falar que o compadrio entre politica e futebol é exclusivo ou sequer apanágio do FCP, além de revelar total parcialidade, revela também ignorância!

Penalties a favor do Benfica são de facto 10, apenas mais um do que o FCP tem...o que de resto até confirma a tendência a todas as épocas anteriores, excepção feita à raridade da época 10-11, uma espécie de Cometa Halley, com o FCP a ter mais penalties que a agremiação corrupta, mesmo assim poucos mais.

por outro lado penalties contra o 5LB apenas 1 único que me lembre, o que após 23 jornadas é obra!!! penalties não marcados contra o FCP, só um lance do Alex Sandro com o Moreirense pode ser passível de discussão. o resto é palha para boi(fiquista)

O mesmo em relação aos vermelhos, apenas 3 mostrados, um deles ao Matic, aos 95 min do jogo com o Nacional, quando o resultado estava feito. outro ao Caralhozo no mesmo jogo por agressão bárbara, e ainda outro ao André Gomes (salvo erro) e foi tudo.
Importante realçar que todas as expulsões da agremiação corrupta foram justas e que muitas mais foram perdoadas, como o golpe marcial do ninja Maxi com o FCP na ETAR, e as entradas do Matic e do mesmo Maxi nesse e noutros jogos.

Anónimo disse...

"oferecido de bandeja ao FCP, com um aluguer ridiculo de 500 euros mensais"


não é aluguer, atrasado mental, é mesmo renda. o FCP paga o centro de estágio, para ficar com ele ao fim de x anos, portanto não é de borla e em nada é beneficiado com a situação.

claro que a renda é baixa, mas o FCP vai pagar o centro de estágio todo, demore o que demorar.
já outros...

Anónimo disse...

Já os confrontos entre adeptos do porto e braga foram naturais , sendo que na sequência da fuga de adeptos do braga um faleceu vitima de atropelamento. Mas pronto. O que se pode dizer de um clube em que um funcionário aparece morto nas instalações do estádio , suicidio..mas a arma do crime não chegou a ser encontrada. Caso abafado. O normal. Isso e os seus adeptos esperarem a equipa com lançamento de tochas e petardos...civismo claro , que violência é só na casa dos outros.

Anónimo disse...

bem, não vou perder mais tempo a discutir com gentalha de baixo nivel. Gosto muito de debater ideias, politicas, futebol, mas para tal é necessário haver o minimo nivel, o que obviamente não existe por estas bandas. Só para concluir o teu raciocino, e visto que a matemática também não é um dos teus fortes, segundo dizes a tal "renda", é de 500 euros mensais. Se o centro de estágio custou 16 Milhões de euros, sabes quantos anos são necessários para o pagar?? Não queimes os poucos neurónios, eu respondo....32.000 (trinta e dois mil anos)...hehehhe

Se achas que este não é um caso gritante de corrupção e promiscuidade entre política e futebol, então é porque de facto és mesmo muito muito limitado

Anónimo disse...

e ao das 4:55, também já se percebeu que a matemática não é definitivamente o teu forte...vai lá mandar mais umas tochas e petardos para o aeroporto, pois parece ser essa a tua vocação!!!

Anónimo disse...

"segundo dizes a tal "renda", é de 500 euros mensais. Se o centro de estágio custou 16 Milhões de euros, sabes quantos anos são necessários para o pagar??"

não sei nem interessa, o que sei é que o FCP tem direitos de superfície durante 50 anos, se depois leva 50 ou 32 mil anos a pagar, isso é outro assunto, se ao fim dos 50 anos, o FCP "prescindir" do centro de estágio também é outro assunto, mas que não me apetece discutir com adeptos do grémio corrupto com Centros de Estágio pagos e financiados por bancos, com dinheiro de todos nós, etc

dizes que não perdes mais tempo a discutir, então o que estás aqui a fazer?
dizes que não existe nível aqui para debater ideias, políticas, futebol, etc
mas porquê? limitei-me a responder no mesmo diapasão que tu, foi quase uma resposta de "copy-paste" só alterando os nomes dos intervenientes.
então, qual foi a diferença de "nível" entre nós dois?

ah é que quando não se vergam à tua cartilha de lobotomia, chamas a isso "falta de nível", já entendi o raciocínio.

Anónimo disse...

"e ao das 4:55, também já se percebeu que a matemática não é definitivamente o teu forte...vai lá mandar mais umas tochas e petardos para o aeroporto, pois parece ser essa a tua vocação!!!"


epá! por falar em petardos...

http://www.maisfutebol.iol.pt/benfica/benfica-uefa-petardos-processo-disciplinar-bordeus-liga-europa/1430669-1456.html

mesmo a calhar...

Anónimo disse...

"Já os confrontos entre adeptos do porto e braga foram naturais , sendo que na sequência da fuga de adeptos do braga um faleceu vitima de atropelamento."


primeiro a história não é como contas. segundo, quem tem mortos na consciência são mesmo os adeptos do grémio corrupto, como aquele caso do very-light do Hugo Inácio, e não mataram mais porque não calhou, hoquistas do FCP em coma, autocarros a arder, etc




"Mas pronto. O que se pode dizer de um clube em que um funcionário aparece morto nas instalações do estádio , suicidio..mas a arma do crime não chegou a ser encontrada. Caso abafado. O normal."

o que se pode dizer de um clube com um presidente dono de uma antiga empresa em que um funcionário apareceu morto nas instalações da mesma, depois de "fugas de informação" à PJ sobre negociatas obscuras e tal?






"Isso e os seus adeptos esperarem a equipa com lançamento de tochas e petardos...civismo claro , que violência é só na casa dos outros."

http://www.maisfutebol.iol.pt/benfica/benfica-uefa-petardos-processo-disciplinar-bordeus-liga-europa/1430669-1456.html


petardos estamos falados.
e depois, até parece que não te lembras disto:
http://csifutebol.wordpress.com/2011/10/18/benfiquistas-apedrejam-autocarro-e-jogadores-do-sl-benfica/

Anónimo disse...

eu estou descansado, penso por mim, critico a promiscuidade entre politica e futebol entre todos os clubes, não com uma lente azul, verde ou vermelha...acima de qq clube está o dinheiro dos meus impostos (coisa que não deves saber o que é pagar)..pelo nivel de linguagem diria que deves ser mais um que recebe o RSI.

e por fim, citando-te:"não se vergam à tua cartilha de lobotomia". faço das tuas palavras as minhas



Allez Sporting disse...

as gayvotas que não esqueçam que a Manuela Ferreira Leite aceitou como penhor uma acções que nem valiam como papel higiénico.
Foi um favor que impediu a ruina da agremiação corrupta

Allez Sporting disse...

EPUL financiou agremiação em 65 milhões de Euros
Mais um exemplo dos milhões com que o estado financiou os projectos da agremiação corrupta.
"Acordo com a Câmara de Lisboa valeu ao Benfica 65 milhões de euros
PJ termina investigação sobre o financiamento do novo Estádio da Luz

Anónimo disse...

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/fundaccedilatildeo_que_gere_o_centro_de_estaacutegios_do_fc_porto_estaacute_agrave_beira_da_extinccedilatildeo.html

Anónimo disse...

Evidente que ninguém favorece o fcp..

http://www.dn.pt/inicio/interior.aspx?content_id=606483

Anónimo disse...

Anónimo das 6:15,6h17, claro que ninguém favorece o FCP..a corrupção (como se pode ver no youtube), favorecimentos do estado são um exclusivo do Benfica!! Deixa-os viver no seu mundinho limitado, em que acreditam em tudo o ouvem do peidolas, sem nunca ousarem questionar o que quer que seja!!!

Anónimo disse...

Novo ilícito criminal
EPUL pagou 1,3 milhões a mais ao Benfica
A Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL) pagou mais 1,3 milhões de euros ao Sport Liboa e Benfica pelos ramais de ligação ao novo estádio do clube de futebol. A informação enviada à Procuradoria-Geral da República revela "indícios da eventual prática de ilícitos criminais" em relação a este processo.

"A Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL) pagou mais 1,3 milhões de euros ao Sport Liboa e Benfica pelos ramais de ligação ao novo estádio do clube de futebol. A informação enviada à Procuradoria-Geral da República revela “indícios da eventual prática de ilícitos criminais” em relação a este processo.

Anónimo disse...

" Sá Fernandes acusa EPUL de pagamento indevido O vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal de Lisboa (CML), José Sá Fernandes, acusou esta quinta-feira a Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL) de ter pago indevidamente cerca de oito milhões de euros ao Benfica para a construção dos ramais de ligação às infra-estruturas do novo estádio.Numa conferência de imprensa, onde apresentou os dados relativos ao pagamento, o vereador bloquista afirmou tratar-se de uma “situação de gravidade extrema”. Sá Fernandes adiantou que os órgãos autárquicos tinham decidido que a “construção dos ramais de ligação às infra-estruturas de subsolo do novo estádio, bem como a fiscalização e a consultaria” do projecto benfiquista seria assegurado pela autarquia, através da EPUL, e através de uma empresa sua participada, mas o custo nunca seria superior a um milhão de euros.O vereador bloquista questiona porque é que Carmona Rodrigues, na altura vice-presidente do executivo camarário, “decidiu por sua iniciativa que a EPUL viesse a pagar uma verba superior a seis milhões de euros”, que devido ao IVA acabou por ser de 8,1 milhões."

Anónimo disse...

Salazar ofereceu estádio
SALAZAR OFERECEU ESTÁDIO AO BENFICA E PSD E PS OFERECERAM O ACTUAL'
SALAZAR OFERECEU EX-ESTÁDIO DA LUZ AO BENFICA'
Logo que, em Março de 1944, o Clube teve conhecimento de que a Câmara Municipal de Lisboa (CML) - proprietária do Campo Grande, onde o Benfica jogava desde 05/10/1941 - estava a estudar uma nova localização para o recinto benfiquista, começou a pensar-se na ideia de construir um novo estádio. Porém, os anos foram passando e as Direcções do Clube, eleitas anualmente, mostravam-se incapazes de obter, da CML, terrenos para a edificação do novo campo.
ALGUNS ASSOCIADOS DESCONTENTES COM A SITUAÇÃO SÃO ELEITOS, A 19/01/1946, PARA A DIRECÇÃO, CONSEGUINDO, A 17/05/1946, UM ENCONTRO NO MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, DURANTE O QUAL O MINISTRO ENG.º CANCELA DE ABREU SE MOSTRA INTERESSADO NA RESOLUÇÃO DO PROBLEMA, AFIRMANDO QUE "O BENFICA É DE BENFICA E PARA LÁ TEM DE VOLTAR!".
Procurava-se, por tudo isto, obter terrenos em condições vantajosas: topografia que facilitasse (e não encarecesse) os trabalhos e a um preço acessível, já que o desejo não era arrendar mas sim comprar - o que, para evitar encargos futuros, só viria a ser possível em 21/10/1969.

Anónimo disse...

«O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa instaurou um inquérito sobre a construção do novo prédio da Cofina, grupo de comunicação social que detém, entre outros, os jornais "Correio da Manhã" e "Record", em Benfica, Lisboa, disse fonte da Procuradoria-Geral da República.
A polémica obra, contestada desde 2008 pelos moradores dos prédios mais próximos, foi analisada pela Provedoria de Justiça, que já no ano passado notificou a Câmara de Lisboa, apontando a nulidade de vários actos administrativos por desrespeito ao alvará de loteamento, de 1989.
Segundo fonte ligada ao processo, a Provedoria deteve-se sobre dois processos - um,contra a Câmara de Lisboa, por ter autorizado a construção, e, um segundo, a propósito de os promotores imobiliários da urbanização onde se insere o prédio da Cofina, não terem alegadamente pago taxas camarárias pelo uso dos terrenos, já que os direitos de isenção teriam passado do Sport Lisboa e Benfica (antigo proprietário) para as empresas.»

Anónimo disse...

Novamente o Seixal
É novamente abordado esta negociata imobiliária e todo o prejuizo que acarretou para o concelho do Seixal.
"O vereador socialista José Assis acusa o Benfica de não estar a cumprir o protocolo com a Câmara do Seixal que permitiu a construção do Centro de Estágios do clube da Luz, mas o vereador do Desporto do município, Joaquim Santos, rejeita a acusação, enquanto o próprio clube prefere manter-se à parte da polémica.
Segundo José Assis, no acordo estabelecido entre as duas partes, o clube de Lisboa comprometia-se a disponibilizar parte da infraesterutura para a população do concelho. No entanto, Joaquim Santos, citado pela Agência Lusa, refere que no protocolo consta apenas uma cláusula genérica
sobre esse assunto e que espera ter, na próxima época, um projecto assinado com o Benfica que permita abrir as portas do centro de estágios às associações desportivas do concelho.
O vereador do Partido Socialista, na nota que enviou à imprensa, recorda que o acordo celebrado entre Benfica, autarquia e a Euroárea, o clube obrigou-se a facultar o acesso aos campos de treino e que «até ao momento essa obrigação não está a ser cumprida». «Por outro lado, essa obrigação está contida no mesmo protocolo que viabilizou urbanisticamente a operação que deu lugar ao centro de estágios e viabilizou o alvará que legitima a área de construção da Quinta da Trindade», destaca ainda a nota do autarca socialista.
Joaquim Santos, por seu lado, defende que os dois primeiros anos «serviram para o Benfica instalar a sua estrutura». «Temos agora condições para aprofundar esse protocolo. Na próxima época desportiva, penso que poderemos aprovar o programa que estabeleça o quadro de cooperação entre o Benfica e Câmara Municipal do Seixal», destacou o vereador da CDU. Contactado pela Agência Lusa, o Benfica não quis comentar as acusações do vereador socialista. "
in MaisFutebol

podem recordar o que já tinhamos escrito sobre este assunto
http://oantilampiao.blogspot.com/2007/09/centro-de-estgio-da-cgd.html
http://oantilampiao.blogspot.com/2007/11/crise-no-galinheiro-ii.html

Anónimo disse...

Orelhas promete alvarás de construção
"Benfica tem de pagar 22 milhões até Setembro
O Sport Lisboa e Benfica (SLB) tinha de pagar, até ontem ao final do dia, impreterivelmente, uma dívida de 2,5 milhões de euros à Euroárea.
Esta empresa, com quem o clube presidido por Luís Filipe Vieira tem acordos há vários anos, executou, esta segunda-feira, a primeira de uma série de letras bancárias, depois de o Benfica ter ultrapassado os prazos para cumprir a sua parte nesses acordos.
Em causa estão as contrapartidas prometidas pelo Benfica a esta empresa, por conta da venda dos terrenos onde está instalado o Centro de Estágio do clube, no Seixal, e do financiamento da construção deste empreendimento desportivo do Benfica.
A Euroárea financiou, com seis milhões de euros, o clube da Luz para este projecto, tendo Luís Filipe Vieira assumido, em nome do Benfica, que obteria das Câmaras de Lisboa e do Seixal novos alvarás para ampliação dos projectos urbanísticos da Euroárea – o que, segundo os responsáveis desta empresa, o clube não terá cumprido."

Então o Orelhas também garante alvarás de contrução ?
Tal como no futebol, também nos negócios imobiliários, faz as coisas por outro lado ...

recorde a polémica em redor do centro de estágios, aqui, aqui e aqui

Anónimo disse...

Centro de estágio da CGD
Louve-se a atitude do blog http://www.a-sul.blogspot.com/ que com coragem não deixa cair no esquecimento a forma como se processou este negócio imobiliário e todo o prejuizo que acarreta para o concelho do Seixal.

Mais um exemplo dos esquemas mafiosos da instituição rosinha.

"um exemplar de arquitectura e azulejaria, era apontada a sua recuperação como contrapartida da sua urbanização e instalação do Centro de Estágios da Caixa Geral Depósitos.O Centro (parte desportiva e hoteleira) está em funcionamento , a urbanização cresce assustadoremente sobre o Tejo, e tratam-se ainda dos edidícios mais recuados, aqueles que depois de vendidos (com vista para o rio) vão ficar sem vista logo que os primeiros papalvos sejam enganados e se construa em frente...Quanto ao Património municipal, o natural da quinta, está o loteamento e arruamentos feitos com o arranque de arvoredo histórico como as monumentais palmeiras, o jardim da quinta está assim reduzido à sua expressão minimalista...Em relação as património arquitectónico, está ao completo abandono como as imagens documentam. Alguém anda a enganar o Povo não acham?"

O povo está a começar a abrir os olhos, mas com tanta intoxicação por parte da comunicação social é natural que o faça devagar, devagarinho.

Mas cá estamos para expor a verdade !

Allez Sporting disse...


"Câmara de Lisboa salva Benfica
A Câmara Municipal de Lisboa aprovou o projecto do Benfica para a Urbanização Sul, na zona do Estádio da Luz, que tinha estado na origem de um dos diferendos do clube com a Euroárea, avança a edição do SOL desta sexta-feira

Com esta decisão, caem por terra os argumentos invocados por esta empresa para executar o clube judicialmente por causa de uma dívida no valor de 2,5 milhões de euros. A Euroárea comunicara ao Benfica, em Julho, que ia executar a letra por não terem sido cumpridos os prazos do acordo estabelecido com o clube para pagar essa dívida. Nesse acordo, estava incluído o compromisso de o Benfica conseguir da CML um aumento da capacidade construtiva na referida Urbanização Sul.

O clube levou a proposta à Câmara em Junho, que a chumbou. Mas no dia 31 de Julho, na última sessão antes de férias, e na sequência de uma reclamação do Benfica, a proposta foi de novo sujeita a votação e acabou por ser aprovada – com os votos favoráveis de todos os vereadores socialistas e dos independentes eleitos na lista de Carmona Rodrigues."


Estes mesmos senhores levaram 6 anos para aprovar um projecto para o Sporting Clube de Portugal.

Anónimo disse...

http://jorgenunopintodacosta.blogspot.pt/2006/11/caixa-geral-de-depsitos-financia.html

JL_72 disse...

ui ui
ganda baile nas gayvotas

Manuel disse...

Os imbecis e idiotas que dizem que é renda o que os andrades pagam pelo Centro de Estágio de Gaia a 500€/mês, que custou a soma astronómica de16M€, para depois ficarem com ele. Perceberam? Os gaienses ainda têm de agradecer aos andrades eles estarem a pagar o Centro!

Deixa cá ver. Colocando juros a 0% os 500€/mês, dá um pagamento de 6000€/ano. Uma monstruosidade.

Significa isso que NÃO PAGANDO QUAiSQUER JUROS, vai levar exactamente 2667 ANOS a pagar o centro de estágio!.

DOIS MIL SEISCENTOS E SESSENTA E SETE anos a pagar o Centro de Estágio. AH, AH, AH! SEM JUROS!!

Com juros seriam para aí uns 5000 ou 6000 anos!! AH, AH, AH!

Cambada de parasitas e ladrões!!!


gayvotas são burras disse...

Mas qual compra sua gayvota idiota.
É um direito de superficie por 50 anos.
O imóvel é propriedade da Fundação Porto Gaia ou seja da CM VNG

Anónimo disse...

quem é que disse que o centro de estágio custou 16 milhões? é mais uma daquelas invenções lampiónicas?
e a renda não é 500 Euros, é mais.

Anónimo disse...

exacto. direito de superfície por 50 anos. eles são burros, não percebem.

Anónimo disse...

mas segundo me parece, o FCP pode renovar ou prolongar depois esse direito de superfície, ou não?

Anónimo disse...

não sendo uma compra, na prática é como se fosse, pois aquilo funciona como "propriedade" do FCP por período quase ilimitado.
se então houver possibilidade de prolongamento desse período, é caso para dizer que o FCP "adquiriu" o Centro de Estágio.

mas por outro lado, como o Centro é propriedade da Câmara de VN Gaia, cai por terra o argumento de que a CM de Gaia "deu" o Centro ao FCP "de borla" ou "prejudicou a edilidade...se o imóvel é da câmara, não prejudicou em nada.

não há nenhum banco a dar naming ao Centro de Estágio e no caso da agremiação corrupta, o Centro foi mesmo oferecido, uma vez que o Centro de Estágio é mesmo propriedade da agremiação corrupta.

Anónimo disse...

Tanto imbecil por aqui...uns dizem que afinal o centro custou menos dos ditos 16 M, já agora agradecia que o provassem. Onde está esse valor?
Depois a "renda" (nome engraçado), é de mais de 500 euros, mas não diz quanto é!

Passo a transcrever uma noticia:
"Em 2004, uma reportagem da revista Visão citava um relatório da Inspecção-Geral de Finanças que, numa fiscalização à Câmara de Gaia, que concluía que a autarquia pagou a totalidade dos custos do centro de treinos: 16 milhões de euros. O FC Porto teria assegurado o direito de superfície dos terrenos por 50 anos e apenas paga uma renda mensal de 500 euros pelo centro de estágio."

FONTE:http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/fundaccedilatildeo_que_gere_o_centro_de_estaacutegios_do_fc_porto_estaacute_agrave_beira_da_extinccedilatildeo.html

Como esta cambada de ignorantes não pensa pela própria cabeça, diz as coisas que lhes impingem, sem terem sequer argumentos de jeito para se defenderem!!
Conseguem ver podridão em tudo o que é negócio do benfica, mas não têm capacidade de olhar para dentro e ver que quando uma câmara gasta 16 M dos contribuintes num espaço, cedendo-o depois por um valor ridículo por 50 (?!?!?) anos a um clube, que o estado e por conseguinte os contribuintes estão a ser lesados!! Ridículos!!

Anónimo disse...

então oh filho da puta, dizes que chamar renda é um nome engraçado e depois nem sequer consegues ver que a própria fonte do jornal de negócios que tu trouxeste, fala precisamente em renda?

se custou mesmo 16 milhões de euros, isso é um problema da câmara, afinal o imóvel ainda é propriedade da mesma.
eles arredondam para 500 euros, mas é um pouco mais, mas também não interessa, é um direito de superfície por 50 anos e a edilidade não é prejudicada.

Anónimo disse...

"Conseguem ver podridão em tudo o que é negócio do benfica, mas não têm capacidade de olhar para dentro e ver que quando uma câmara gasta 16 M dos contribuintes num espaço, cedendo-o depois por um valor ridículo por 50 (?!?!?) anos a um clube, que o estado e por conseguinte os contribuintes estão a ser lesados!! Ridículos!!"


então e quando a CGD financia um Centro de Estágio, o estado e os contribuintes já não estão a ser lesados?
oh filho da puta queres comparar a gravidade das duas situações?

oh filho da puta, se te disserem que a CML, via EPUL financiou a merda do clube do regime em 65 milhões, isso não é lesar o estado e contribuintes?
queres comparar 16 milhões com 65 milhões, oh cabeça de burro?

Manuel disse...

Ó imbecis, devem ser os 500€ mais o IVA! Atrasados mentais!

Foi o TRIBUNAL DE CONTAS, não sei se sabem o que é, que fiscalizou e afirmou que o centro custou de facto 16M€. O mesmo TRIBUNAL DE CONTAS afirmou que o FCP recebeu da Câmara do Porto e do Estado Português quase 300M€ (TREZENTOS MILHÕES DE EUROS) para construir o vosso estádio e acessos! A fundo perdido!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

E o mesmo TRIBUNAL DE CONTAS condenou e criticou todas essas ofertas. Pois foi feito com o dinheiro dos contribuintes portugueses, Foi dinheiro roubado aos portugueses, acéfalos mentais!

ISTO ESTÁ NO SITE DO TRIBUNAL DE CONTAS, imbecis!

Ladrões e vigaristas!

Anónimo disse...

fazer simplesmente tábua rasa (ignore) de tudo o que dissemos aqui:

http://oantilampiao.blogspot.com/2007/09/centro-de-estgio-da-cgd.html

e voltar à carga com a merda da conversa do estado e contribuintes, só pode ser sintoma de lesão cerebral grave, um cérebro que só olha para o que quer, e vê só o que quer, mas ignora o que não convém, autisticamente.

Anónimo disse...

Manuel, tem lá calma que ainda tens um enfarte:

Salazar ofereceu estádio
SALAZAR OFERECEU ESTÁDIO AO BENFICA E PSD E PS OFERECERAM O ACTUAL'
SALAZAR OFERECEU EX-ESTÁDIO DA LUZ AO BENFICA'
Logo que, em Março de 1944, o Clube teve conhecimento de que a Câmara Municipal de Lisboa (CML) - proprietária do Campo Grande, onde o Benfica jogava desde 05/10/1941 - estava a estudar uma nova localização para o recinto benfiquista, começou a pensar-se na ideia de construir um novo estádio. Porém, os anos foram passando e as Direcções do Clube, eleitas anualmente, mostravam-se incapazes de obter, da CML, terrenos para a edificação do novo campo.
ALGUNS ASSOCIADOS DESCONTENTES COM A SITUAÇÃO SÃO ELEITOS, A 19/01/1946, PARA A DIRECÇÃO, CONSEGUINDO, A 17/05/1946, UM ENCONTRO NO MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, DURANTE O QUAL O MINISTRO ENG.º CANCELA DE ABREU SE MOSTRA INTERESSADO NA RESOLUÇÃO DO PROBLEMA, AFIRMANDO QUE "O BENFICA É DE BENFICA E PARA LÁ TEM DE VOLTAR!".
Procurava-se, por tudo isto, obter terrenos em condições vantajosas: topografia que facilitasse (e não encarecesse) os trabalhos e a um preço acessível, já que o desejo não era arrendar mas sim comprar - o que, para evitar encargos futuros, só viria a ser possível em 21/10/1969.


http://oantilampiao.blogspot.pt/search/label/seixal

http://jorgenunopintodacosta.blogspot.pt/2010/03/epul-carmona-constituido-arguido.html

http://jorgenunopintodacosta.blogspot.pt/2010/03/acordo-com-camara-de-lisboa-valeu-ao.html

http://jorgenunopintodacosta.blogspot.pt/2007/02/os-negcios-escuros-do-estdio-da-luz.html

Anónimo disse...

Contra factos não há argumentos!Eu pelo menos só te estou a ofender a ti, chamando-te ignorante pois só tens escrito palermices. Mas afinal já custou 16 M? Antes eram invenções, afinal custou 16 M, mas não interessa, pois a câmara vai receber 500 euros mensais, por isso não vai ser lesada!!!HEHe. Que bimbos complexados.

Pacóvio, o facto de a CGD ter financiado o centro do benfica, não quer dizer que o tenha oferecido. Os bancos ajudaram 90% dos portugueses a comprar casa. Percebes a diferença, meu bronco complexado?

em relação à epul, o que gostava é que se averiguasse a fundo essas suspeitas e se descobrisse tudo. Se de facto houve ilicito, condenem-se os responsáveis sejam eles quais forem pois o estado está (ou deveria estar) acima de tudo.
E essa é a grande diferença entre nós, como pago impostos estou acima de tudo preocupado com o destino dos mesmos. Para ti mais um chulo do RSI, isso passa-te ao lado!

Anónimo disse...

calma Manuel filho da puta, que há mais:

http://jorgenunopintodacosta.blogspot.pt/2005/01/negociata-do-slb-e-cml.html

http://jorgenunopintodacosta.blogspot.pt/2005/01/entre-cml-epul-e-o-slb-e-scp.html

Anónimo disse...

a câmara não vai ser lesada, porque a propriedade dos terrenos ainda é sua, não do FCP.

eu duvidei que o custo fosse 16M, mas pelos vistos é, se o tribunal de contas diz, eu acredito até prova em contrário.

agora, resta saber quanto custou o sapal do seixal, claro que a CGD não ofereceu o centro de estágio ao clube do regime, mas paga-o...quem o ofereceu foi a câmara do seixal, terrenos, etc.

chulo do RSI? deves ser mais um preto da periferia de Lisboa a mandar boquinhas, e a rebentar multibancos durante a noite.

Anónimo disse...

gora, resta saber quanto custou o sapal do seixal, claro que a CGD não ofereceu o centro de estágio ao clube do regime, mas paga-o...quem o ofereceu foi a câmara do seixal, terrenos, etc

onde estão esses dados, complexado?


deves ser mais um preto da periferia de Lisboa a mandar boquinhas, e a rebentar multibancos durante a noite.

Bolas, fui descoberto!!

Anónimo disse...

fui investigar e o sapal do seixal custou cerca de 15 milhões...opá, é uma grande diferença para esses 16 milhões.
resta saber quem paga, e já se viu que a agremiação corrupta não é.

a nova ETAR de carnide custou 165 milhões, com 25% pagos pelo estado (contribuintes) mais os financiamentos da EPUL de 65 milhões, mas estas continhas não perturbam os Manuéis ou os asnónimos desta vida.

ah nem isto:
http://www.record.xl.pt/Arquivo/interior.aspx?content_id=111049

Anónimo disse...

Compadrio entre Nuno Cardoso e FCP...nãooooooo

A execução do Plano de Pormenor das Antas terá causado um "rombo" equivalente a cerca de 87 milhões de euros no património da Câmara Municipal do Porto. É uma das conclusões que se pode retirar da leitura do relatório final da Inspecção-Geral de Finanças (IGF), em que se destacam os 55 milhões de euros atribuídos pela autarquia, de forma "ilegal", ao Futebol Clube do Porto (FCP). O inspector-geral remeteu o relatório para o Ministério Público, justificando a decisão com os "indícios de favorecimento" ao clube. Segundo o actual presidente, Rui Rio, o processo já originou uma investigação.

É numa pequena nota escrita à mão que José Martins de Sá, inspector-geral de Finanças, valoriza os negócios entre a Câmara e o FCP no âmbito do Plano de Pormenor das Antas. Remetendo para a cedência "ilegal" de um apoio ao clube com o valor de 55 milhões de euros.

http://www.jn.pt/paginainicial/interior.aspx?content_id=463292

Anónimo disse...

Bronco, 25 % receberam todos os clubes para construirem os estádios para o Euro 2004 (mais um negocio fantastico para os clubes, menos para os contribuintes). Em relação à epul, já o disse atrás..investigue-se bem, e condene-se se for caso disso!!!

Anónimo disse...

exacto, 25% receberam todos. mas parece que o único que não sabe isso é o Manel. porque é que o Manel vem para aqui dizer que o estado ofereceu dinheiro ao FCP, como se não tivesse oferecido a todos?

Anónimo disse...

e continuo à espera de dados que sustentem a teoria que o centro de estágio foi oferecido pela CGD, espera já corrigiste e afinal foi pela câmara do Seixal (só calinadas)

Anónimo disse...

"...Pedro Santana Lopes, que ocupava a presidência da Câmara, não é arguido neste processo, ao contrário do seu “vice” Carmona Rodrigues que é um dos cinco arguidos constituídos durante a investigação. Carmona disse aos investigadores que o processo era tratado directamente por Santana, que inquirido como testemunha reconheceu que as negociações com o clube da Luz para a elaboração do contrato-programa foram conduzidas por si e pelo vice-presidente."


http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/benfica_quotajudadoquot_em_65_milhotildees_conclui_pj.html

Anónimo disse...

burro, eu não disse que foi oferecido pela CGD, e sim que é PAGO pela CGD a troco do naming. percebeste?

Anónimo disse...

http://www.jornaldigital.com/noticias.php/1/8/noticias.php?noticia=20891

Anónimo disse...

Conclusão:sempre houve corrupção e compadrio entre autarquias, seja em Lisboa ou no Porto.Defendo desde o meu primeiro post que acho lamentável que o poder politico baixe as calças aos clubes de futebol e goze com o dinheiro dos contribuintes! Com brincadeiras dessas estamos na bancarrota!!Sejam ajudas azuis, vermelhas ou verdes!!

Quem tem telhados de vidro, não atire a primeira pedra ...

Anónimo disse...

http://www.record.xl.pt/Arquivo/interior.aspx?content_id=106844


quanto ao resto, os terrenos do Seixal foram oferecidos pela Euroàrea.

Anónimo disse...

http://a-sul.blogspot.pt/2005/07/benfica-absorve-patrimnio-do-seixal.html

http://a-sul.blogspot.pt/2005/06/centro-de-estgio-do-benfica-e-o-pdm-do.html

http://www.reflexaoportista.pt/2009/07/marca-do-benfica-no-seixal.html



é preciso uma falta de vergonha atroz para ainda falar no Olival, quando de facto os terrenos do Olival ainda são da Câmara de Gaia, ao menos.

Anónimo disse...

O Benfica propôs à Euroárea cumprir a sua parte do contrato obtendo da CML a autorização para mais 1 800 metros quadrados de construção a favor da Euroárea na urbanização dos terrenos da Luz, e obter da CM Seixal idêntica licença para ampliação em 30 000 metros quadrados da urbanização na Quinta da Trindade, no Seixal, de que esta empresa é proprietária.

Ou seja: o Benfica propôs-se servir de intermediário da Euroárea e junto das edilidades de Lisboa e do Seixal, a favor dos interesses da empresa. E se o fez, e se a Euroárea o aceitou, é logicamente porque a empresa concluiu que, por si só, não conseguiria convencer as autarquias a reverem e revogarem os planos municipais já aprovados. A Euroárea reconheceu não ter força de influência politica para o conseguir; mas reconheceu também que o Benfica a tinha. E foi com este pressuposto que assinaram o contrato. Estamos perante um chocante caso de tráfico de influências, feito por um clube de futebol a favor de uma empresa privada e no interesses de ambos. A força da «marca Benfica», como costumam dizer, é de tal ordem, que a direcção presidida por Luís Filipe Viera não hesita em assinar contratos onde se compromete a obter de autarquias regimes de excepção a favor de terceiros!
(...)
Voltando ao contrato entre Benfica e Euroárea, o que parece ter complicado a posição contratual do Benfica é que, por um lado, a CM Seixal ainda não outorgou a tempo o alvará a favor da Euroárea que o Benfica se comprometeu a obter, e a CM Lisboa levou a expansão da área de construção da Luz a votação camarária e o projecto não passou. Houve uma votação que terminou empatada 5-5 e o presidente e benfiquista António Costa fez uma prévia declaração prescindindo do seu voto de qualidade. O Benfica já juntou o inevitável parecer jurídico, sustentando que o presidente, quando vota, tem sempre voto de qualidade (e devo dizer que, juridicamente, também acho o mesmo). Mas, no mínimo, o que António Costa deveria ter feito era abster-se na votação, ou, melhor e mais normal, ter recusado liminarmente o projecto porque cidade alguma pode ser governada com decisões de excepção a favor de clubes de futebol que vivem eternamente acima dos meios normais de que dispõem. Chama-se a isso fomentar a concorrência desleal e chama-se a isso dispor de coisa pública em benefício de interesses particulares.
(CONTINUA)

Anónimo disse...

Depois não venham dizer que o futebol é um mundo à parte. Alguma coisa está podre quando um clube assina contratos em que se compromete a obter junto das autarquias autorizações de construção a favor de terceiros.O Benfica propôs à Euroárea cumprir a sua parte do contrato obtendo da CML a autorização para mais 1 800 metros quadrados de construção a favor da Euroárea na urbanização dos terrenos da Luz, e obter da CM Seixal idêntica licença para ampliação em 30 000 metros quadrados da urbanização na Quinta da Trindade, no Seixal, de que esta empresa é proprietária.

Ou seja: o Benfica propôs-se servir de intermediário da Euroárea e junto das edilidades de Lisboa e do Seixal, a favor dos interesses da empresa. E se o fez, e se a Euroárea o aceitou, é logicamente porque a empresa concluiu que, por si só, não conseguiria convencer as autarquias a reverem e revogarem os planos municipais já aprovados. A Euroárea reconheceu não ter força de influência politica para o conseguir; mas reconheceu também que o Benfica a tinha. E foi com este pressuposto que assinaram o contrato. Estamos perante um chocante caso de tráfico de influências, feito por um clube de futebol a favor de uma empresa privada e no interesses de ambos. A força da «marca Benfica», como costumam dizer, é de tal ordem, que a direcção presidida por Luís Filipe Viera não hesita em assinar contratos onde se compromete a obter de autarquias regimes de excepção a favor de terceiros!
(...)
Voltando ao contrato entre Benfica e Euroárea, o que parece ter complicado a posição contratual do Benfica é que, por um lado, a CM Seixal ainda não outorgou a tempo o alvará a favor da Euroárea que o Benfica se comprometeu a obter, e a CM Lisboa levou a expansão da área de construção da Luz a votação camarária e o projecto não passou. Houve uma votação que terminou empatada 5-5 e o presidente e benfiquista António Costa fez uma prévia declaração prescindindo do seu voto de qualidade. O Benfica já juntou o inevitável parecer jurídico, sustentando que o presidente, quando vota, tem sempre voto de qualidade (e devo dizer que, juridicamente, também acho o mesmo). Mas, no mínimo, o que António Costa deveria ter feito era abster-se na votação, ou, melhor e mais normal, ter recusado liminarmente o projecto porque cidade alguma pode ser governada com decisões de excepção a favor de clubes de futebol que vivem eternamente acima dos meios normais de que dispõem. Chama-se a isso fomentar a concorrência desleal e chama-se a isso dispor de coisa pública em benefício de interesses particulares.

Depois não venham dizer que o futebol é um mundo à parte. Alguma coisa está podre quando um clube assina contratos em que se compromete a obter junto das autarquias autorizações de construção a favor de terceiros



Miguel Sousa Távares

Anónimo disse...

Em relação ao naming do Centro de estágio do Benfica, acho realmente que houve marosca...só pode ser!!

já em relação ao naming do pavilhão do FCP e em troca respectivo financiamento, aí trata-se de um processo totalmente transparente



Compatível com o Estádio do Dragão, funcional e poupado nos gastos. Três ideias chave passadas ao papel pelo arquitecto Manuel Salgado (o mesmo autor do estádio) para o pavilhão, cuja obra cresce a olhos vistos, de dia para dia, a cargo da Somague (também responsável pelo Vitalis Park) e sob o financiamento da Caixa Geral de Depósitos, que, desde logo e em contrapartida, dá o nome à nova casa dos dragões para o hóquei em patins, o basquetebol e o andebol.



http://www.jn.pt/paginainicial/desporto/interior.aspx?content_id=1010340


Que cromos complexados!!!

Anónimo disse...

burro, eu não disse que foi oferecido pela CGD, e sim que é PAGO pela CGD a troco do naming. percebeste?




http://www.jn.pt/paginainicial/desporto/interior.aspx?content_id=1010340

Anormal,fico a aguardar pela tua explicação..como se eu fosse muito burro, qual a diferença entre o apoio da Caixa ao benfica e ao Porto!

Anónimo disse...

As Golpadas da Quadrilha

BCP financiou SAD do Porto
Um negócio paralelo ao sistema bancário, onde se ofereciam juros altos, mas também empréstimos sem garantias ou contrapartidas. Terá sido assim no balcão das Antas do Banco Mello, entre 1998 e 2000, onde o economista Espregueira Mendes, administrador de uma empresa associada à SAD do FC Porto, era gerente.

O Ministério Público descobriu uma volumosa fraude e o caso está agora em julgamento. Espregueira Mendes responde por burla qualificada no valor de dez milhões de euros, quantificado pelo banco como o total entre os juros não cobrados, os custos fiscais suportados para regularizar as aplicações ilicitamente constituídas e as perdas geradas pelo “crédito malparado”.

O Ministério Público arrolou como testemunhas os clientes a quem foram prometidos juros altos a troco de depósitos à ordem, ficando de “fora”, os empresários com ligações ao FC Porto a quem foram concedidos empréstimos, “quase financiamentos”, a troco de cheques pré-datados.

Na acusação pública, que o CM consultou, pode então ver-se que estaria em causa um esquema bastante elaborado. Enquanto gerente do balcão, que se destinava apenas a clientes VIP, Nuno Espregueira Mendes criou contas paralelas, onde os clientes tinham como domicílio o próprio banco, o que lhe permitia fazer aplicações em bolsa do dinheiro que não lhe pertencia. Ao mesmo tempo, concedia também empréstimos em condições que ele próprio definia e que escapavam em absoluto ao controlo bancário.
Quando a situação foi descoberta, muitas das acções tinham valores inferiores aos prejuízos. Para além disso, o Banco Mello, agora BCP, foi obrigado a pagar aos clientes os juros que aqueles tinham contratualizado com Espregueira Mendes, mesmo tratando-se de valores mais elevados do que os habitualmente praticados pelo balcão.

Ainda segundo o Ministério Público, para além dos clientes particulares foram também emprestadas elevadas verbas à SAD portista. Nos documentos consultados pelo CM há pelo menos referência a treze depósitos nas contas do clube. O valor total rondou os três milhões de euros e os depósitos foram feitos entre Agosto de 1998 e Dezembro de 1999.
Recorde-se, ainda, que após uma auditoria, Espregueira Mendes, à data administrador da SAD do Porto, foi suspenso de funções.

Anónimo disse...

Empréstimos sem juros
JOAQUIM OLIVEIRA: 10,5 MILHÕES
O patrão da Globalnotícias, um dos maiores impérios de comunicação social, fez três empréstimos, num total de 10,5 milhões de euros. O primeiro foi contraído em 1998.
João Espregueira Mendes: 300 MIL EUROS
Irmão de Nuno Espregueira Mendes, João Espregueira Mendes viu ser depositado na sua conta uma verba de 300 mil euros. O depósito, que o MP apelida de financiamento, foi feito em Junho de 1998. A acusação sustenta que o banco não tinha qualquer garantia do pagamento por parte do cliente.
Adelino Caldeira: 2 MILHÕES
Adelino Caldeira, administrador da SAD portista, fez dois empréstimos ao Banco Mello. No total foram depositados na sua conta cerca de dois milhões de euros.
M. João Espregueira Mendes: 7,5 MILHÕES
Maria João Espregueira Mendes é casada com o administrador da Portocomercial, arguido no processo. Na sua conta foram feitos mais de duas dezenas de depósitos que ultrapassam os 7,5 milhões de euros. Cerca de um milhão terá passado pela sua conta, antes de entrar na de terceiros.
António Oliveira: 1,5 MILHÕES
António Oliveira, ex-treinador do Porto e um dos maiores accionistas da SAD, contraiu dois empréstimos com o Mello. As transferências totalizaram 1,5 milhões de euros.

Empréstimos em tempos de euforia
Os anos de 1998 e 1999, quando Joaquim Oliveira conseguiu o empréstimo sem juros, foram de euforia na Bolsa e os investidores que aproveitaram os ciclos favoráveis conseguiram acumular fortunas em mais-valias. A valorização do principal índice em 1998 foi de 25%, mas a amplitude entre o ponto máximo e o mínimo chegou a 90,16%.
Ao ficar isento do pagamento dos juros, Joaquim de Oliveira poupou muitos milhares de contos. Nesse ano, a taxa média praticada no crédito à habitação, mais favorável que a usada para aplicações de risco, era em média de 8,2% ao ano. Em 1999 os juros tiveram tendência de descida, mas mesmo que só tivesse de pagar 5%, os mais de dois milhões de contos exigiam um esforço de juros de pelo menos 100 mil contos.
O investimento mais conhecido de Joaquim Oliveira na Bolsa é a PT Multimédia, a empresa que é sua parceira na Sportv

Anónimo disse...

Rui Moreira
Rui Moreira, que é familiar de Espregueira Mendes, depositou no banco quase dois milhões e meio de euros. Interrogado, disse que não se lembrava.
Jaime Magalhães
Jaime Magalhães, jogador do FC Porto até 1994, depositou 600 mil euros, a troco de 2600 euros de juros ao mês. “Depositei tudo o que tinha”, afirmou.
António Folha
António Folha, que durante muitos anos representou o FC Porto (e que acabou a jogar no Penafiel), fez também avultados depósitos no Banco Mello.

O Julgamento de Espregueira Mendes
Espregueira Mendes, ex-administrador da SAD do FC Porto e antigo gerente da agência das Antas do Banco Mello, foi condenado, no Tribunal de São João Novo, Porto, a SEIS ANOS DE PRISÃO EFECTIVA PELO CRIME DE BURLA AGRAVADA.
No acórdão lido, o tribunal deu como provado que Nuno Espregueira Mendes “delineou e executou de um modo astucioso e cuidado um plano no qual oferecia aplicações financeiras (a clientes da agência das Antas do Banco Mello) com a garantia de juros líquidos superiores aos do mercado e do próprio Banco Mello”. “Espregueira Mendes não tinha autonomia para negociar tais taxas de juro e fê-lo sempre sem autorização (do banco)”, sustentou a juíza que presidiu ao julgamento.

Quando o arguido recebia o dinheiro dos clientes para efectuar a aplicação “esse dinheiro era transferido de imediato para contas paralelas que ficavam domiciliadas na própria agência”, além de essas contas surgirem “nos serviços centrais como contas autónomas”, leu a magistrada. “O arguido transferia montantes para contas paralelas para esconder as verdadeiras aplicações e posteriormente os montantes eram usados por Espregueira Mendes, e outros funcionários, conforme os seus critérios”, referiu a juíza-presidente.
Para obter ganhos que lhe permitissem pagar as taxas de juro acordadas, Nuno Espregueira Mendes “dava ordens de compra e venda no mercado de valores imobiliários, que era muito rentável até à queda de 1999″ disse a juíza. “As mais-valias permitiam a Espregueira Mendes ter dinheiro para creditar nas contas dos clientes, comprar novos títulos em bolsa, emprestar dinheiro, pagar despesas pessoais e fazer depósitos em outras instituições bancárias”, referiu a magistrada.

Anónimo disse...

Parte das verbas conseguidas eram transferidas para uma “conta bolo”, aberta em nome de Maria João Espregueira Mendes, esposa do arguido, e manobradas para dar resposta às diversas solicitações. Como tinha cheques da conta aberta em nome da sua esposa, Espregueira Mendes fazia depósitos de elevados montantes em contas de outros bancos, das quais era titular, tendo sido apurado um total de 285 mil contos (1,4 milhões de euros) em cheques depositados.
No total, o esquema de contas paralelas, que funcionou entre 1998 e 1999, permitiu a Espregueira Mendes “gerir mais de 20 milhões de contos como lhe aprouve”, destacou a juíza-presidente. Depois de Espregueira Mendes ter sido suspenso das suas actividades na agência das Antas, em Abril de 1999, o Banco Mello teve de pagar aos clientes taxas de juro mais elevadas às praticadas, sendo a diferença entre o montante recuperado e o pago superior a 3 milhões de euros.
Durante o julgamento não ficou provado que o esquema levado a cabo por Nuno Espregueira Mendes fosse uma prática corrente do banco. No final da leitura a juíza-presidente justificou que a pena de prisão é efectiva para que o réu “sinta a reprovação da sua conduta”, isto por considerar que o arguido “não demonstrou espírito crítico sobre o efectuado, fazendo crer que, se pudesse, voltaria a agir do mesmo modo”. À saída da sessão o advogado da defesa, Gil Moreira dos Santos, não quis prestar declarações, dizendo apenas que este “não é um caso terminado”, lançando assim a hipótese de recorrer da sentença.

O Caso Quinhentinhos
Quem não recorda o caso "Quinhentinhos" que envolveu José Guimaro o Leça e com o famoso Reinaldo Teles ao barulho? Depois do caso quinhentinhos em que a PJ não apanhou todos os envolvidos porque forças superiores os impediram de concluir todo o trabalho. Até então o método dos cheques tinha-se revelado infalível, mas bastou uma investigação para que fossem posto a nú todos os problemas que os cheques poderiam vir a causar.

Anónimo disse...

O Fim do esquema dos Cheques
A corrupção assim teve de mudar a sua forma de actuar, pois como ficou provado os cheques eram um meio muito inseguro de se subornar os árbitros, prova disso foi o valor que o Leça pagou, pois desceria de divisão e um dos árbitros do sistema foi preso e afastado para além de terem de se pagar quantias elevadas para mover influências junto dos altos poderes da nação para livrar Teles e os seus comparças do Porto.
Ainda se correram riscos pois era necessário garantir o financiamento, pois da verba a pagar, 50% eram imediatamente retidos na fonte e os restantes 50% eram para o árbitro, o bolo era assim repartido porque o clube que desejasse comprar o árbito do sistema nunca entrava em contacto com o árbitro mas sim um intermediário que era nada mais nada menos do que Reinaldo Teles ou alguém da sua confiança.

Viagens e Prostitutas
Para além das viagens pagas através das e posteriormente agências de viagens fastasma, carros de alta cilindrada que apareciam como que por magia, prostitutas em hóteis e nas casas de alterne, em alguns dos casos os árbitros eram filmados sem o saberem... para se fazer a chamada chantagem.

Novo esquema e os Casinos
Reinaldo Teles com as suas ligações aos Casinos e o seu gosto pelo jogo ou alguém muito próximo da equipa corrupta, conseguiu de facto engendrar um esquema totalmente infalivel, totalmente seguro.
A investigação feita deparou-se com um sistema extremamente simples e eficaz que para além de envolver avolumadas quantias de dinheiro não deixa qualquer rastro já que não envolve nomes, contas bancárias ou cheques.
O método usado é extremamente simples e basicamente consiste no seguinte, o clube corrupto do norte necessita de comprar o árbitro afecto ao sistema, imediatamente um qualquer funcionário da confiança do clube corrupto dirige-se a um qualquer casino da Póvoa e troca o valor, por exemplo, de 5 mil Euros por fichas de casino, recolhe as fichas e leva-as de volta para a sede ou uma qualquer casa do clube corrupto, posteriormente alguém se encarregará de fazer o pagamento ao árbitro amigo do sistema, exactamente com as fichas do casino anteriormente levantadas. O árbitro após receber a encomenda, dirige-se sem qualquer problema, ao casino faz 1 ou 2 jogos numa qualquer máquina e posteriormente troca as fichas novamente por dinheiro vivo.

Anónimo disse...

A verdade é que o metodo utilisado é um método básico mas ao mesmo tempo extremamente eficaz, já que não existem nomes envolvidos, não há contas bancárias nem cheques no esquema de troca de favores. Fixem as caras de todos os árbitros, quando forem a um casino mantenham-se alerta pois é bem possivel que a qualquer momento se cruzem com um qualquer árbitro a receber o dinheiro do trabalho feito em prol da causa corrupta.

Anónimo disse...

A SEF do Porto dá uma ajuda
Funcionários do SEF estarão ligados à legalização irregular de vários jogadores do FC Porto, indica o “Jornal de Notícias”. Segundo este jornal, o Ministério Público já estará a investigar diversas situações, uma delas envolvendo o ex-jogador portista Anderson. O Ministério Público está a investigar suspeitas que envolvem a legalização irregular de jogadores estrangeiros do FC Porto por parte de elementos ligados ao SEF, noticia a edição da época do «Jornal de Notícias».
Segundo este diário, estes funcionários do SEF terão recebido bilhetes para jogos e camisolas do FC Porto em troca de facilidades para apressar e resolver problemas relacionados com processo de legalização destes jogadores e seus familiares.

Um dos casos que investigado é o do brasileiro Anderson, ex-jogador do FC Porto, que terá entrado em Portugal através de um contrato de trabalho fictício apresentado pela mãe do jogador.
Na altura em que o jogador ingressou na equipa "azul-e-branca", Anderson era menor, o que levou a que a sua mãe fosse a sua representante legal.
Segundo o JN, a progenitora de Anderson terá apresentado um contrato de cozinheira num restaurante do Porto, restaurante em que nunca terá trabalhado.
Os casos dos argentinos Lisandro Lopez e Lucho Gonzalez e dos brasileiros Ibson e Bruno Moraes, Leandro do Bonfim e Cláudio Pitbull também estarão a ser ainda investigados. As suspeitas relativas a estes casos terão surgido após escutas telefónicas feitas a dois elementos do SEF que falavam e encontravam-se frequentemente com elementos ligados ao FC Porto.

(O Ministério Público do Porto investiga muito, quando não arquiva “por falta de provas”, mas resultados… ZERO! Será que também são pagos em fichas de casino? Ou será em relógios de ouro?

Anónimo disse...

A SEF do Porto dá uma ajuda
Funcionários do SEF estarão ligados à legalização irregular de vários jogadores do FC Porto, indica o “Jornal de Notícias”. Segundo este jornal, o Ministério Público já estará a investigar diversas situações, uma delas envolvendo o ex-jogador portista Anderson. O Ministério Público está a investigar suspeitas que envolvem a legalização irregular de jogadores estrangeiros do FC Porto por parte de elementos ligados ao SEF, noticia a edição da época do «Jornal de Notícias».
Segundo este diário, estes funcionários do SEF terão recebido bilhetes para jogos e camisolas do FC Porto em troca de facilidades para apressar e resolver problemas relacionados com processo de legalização destes jogadores e seus familiares.

Um dos casos que investigado é o do brasileiro Anderson, ex-jogador do FC Porto, que terá entrado em Portugal através de um contrato de trabalho fictício apresentado pela mãe do jogador.
Na altura em que o jogador ingressou na equipa "azul-e-branca", Anderson era menor, o que levou a que a sua mãe fosse a sua representante legal.
Segundo o JN, a progenitora de Anderson terá apresentado um contrato de cozinheira num restaurante do Porto, restaurante em que nunca terá trabalhado.
Os casos dos argentinos Lisandro Lopez e Lucho Gonzalez e dos brasileiros Ibson e Bruno Moraes, Leandro do Bonfim e Cláudio Pitbull também estarão a ser ainda investigados. As suspeitas relativas a estes casos terão surgido após escutas telefónicas feitas a dois elementos do SEF que falavam e encontravam-se frequentemente com elementos ligados ao FC Porto.

(O Ministério Público do Porto investiga muito, quando não arquiva “por falta de provas”, mas resultados… ZERO! Será que também são pagos em fichas de casino? Ou será em relógios de ouro?

Anónimo disse...

O Tráfico de Mulheres
Diziam-lhes que o bilhete de avião seria pago pelos proxenetas portugueses que depois tratavam de as legalizar. Suspeita-se de que o destino daquelas mulheres fosse serem mantidas em piores condições do que aquelas que usufruíam no Brasil; eles foram presos após várias recusas do SEF, em Portugal, para que elas entrassem no nosso país.
Luciano, Bruno Sousa e Bruno Moreira foram detidos pela Polícia Federal brasileira quando se encontravam no Recife e estão em prisão preventiva até julgamento. Luciano é do Porto e conhecido adepto do clube mais representativo da cidade. A sua ligação à claque Super Dragões é de tal forma intensa que a sua palavra é recebida como a de um líder.

Anónimo disse...

O Tráfico de Mulheres
Diziam-lhes que o bilhete de avião seria pago pelos proxenetas portugueses que depois tratavam de as legalizar. Suspeita-se de que o destino daquelas mulheres fosse serem mantidas em piores condições do que aquelas que usufruíam no Brasil; eles foram presos após várias recusas do SEF, em Portugal, para que elas entrassem no nosso país.
Luciano, Bruno Sousa e Bruno Moreira foram detidos pela Polícia Federal brasileira quando se encontravam no Recife e estão em prisão preventiva até julgamento. Luciano é do Porto e conhecido adepto do clube mais representativo da cidade. A sua ligação à claque Super Dragões é de tal forma intensa que a sua palavra é recebida como a de um líder.

Anónimo disse...

No estádio tem a mesma liberdade de movimentos que qualquer outro responsável da mesma claque, advindo muito da sua importância nos Super Dragões com ligações familiares a ex-atletas do clube.
Ainda segundo o CM apurou, os três portugueses foram inicialmente alvos de uma busca quando se encontravam em Palmas. Mesmo assim, e não obstante estarem impedidos de se ausentar daquela morada, fugiram para o Recife. Bruno Sousa, de 27 anos, e Bruno Moreira, de 29, foram apanhados em Boa Viagem; Luciano foi preso em Abreu e Lima.
As autoridades brasileiras deram ainda conta de que o trio tentava viajar para Portugal quando foi interceptado. Foram conduzidos à cadeia de Parentibe Cotel, em Abreu e Lima, no Recife, estado de Pernambuco, onde foram interrogados e sujeitos à medida de coacção de prisão preventiva.
Documentos encontrados na posse dos portugueses apontam ainda para o facto de Portugal poder não ser o único destino destas mulheres.
Algumas poderiam também ser colocadas no ‘mercado’ espanhol, havendo ainda algumas mulheres que terão chegado ao nosso país por via terrestre, depois de aterrarem no país vizinho.
Mulheres pobres à procura de sonhos
As regiões mais pobres do Brasil são o local preferido para os traficantes angariarem mão-de-obra. Um estudo feito em São Paulo dá conta da existência de 241 rotas de tráfico no país.
Sem documentos para regressar
No nosso país, muitas destas mulheres ficam sem os documentos. Algumas são escravizadas, tendo de entregar quase tudo o que ganham aos proxenetas. Mesmo que queiram não podem regressar.

(Enfiam-nas em arcas frigoríficas!!!).

Anónimo disse...

No estádio tem a mesma liberdade de movimentos que qualquer outro responsável da mesma claque, advindo muito da sua importância nos Super Dragões com ligações familiares a ex-atletas do clube.
Ainda segundo o CM apurou, os três portugueses foram inicialmente alvos de uma busca quando se encontravam em Palmas. Mesmo assim, e não obstante estarem impedidos de se ausentar daquela morada, fugiram para o Recife. Bruno Sousa, de 27 anos, e Bruno Moreira, de 29, foram apanhados em Boa Viagem; Luciano foi preso em Abreu e Lima.
As autoridades brasileiras deram ainda conta de que o trio tentava viajar para Portugal quando foi interceptado. Foram conduzidos à cadeia de Parentibe Cotel, em Abreu e Lima, no Recife, estado de Pernambuco, onde foram interrogados e sujeitos à medida de coacção de prisão preventiva.
Documentos encontrados na posse dos portugueses apontam ainda para o facto de Portugal poder não ser o único destino destas mulheres.
Algumas poderiam também ser colocadas no ‘mercado’ espanhol, havendo ainda algumas mulheres que terão chegado ao nosso país por via terrestre, depois de aterrarem no país vizinho.
Mulheres pobres à procura de sonhos
As regiões mais pobres do Brasil são o local preferido para os traficantes angariarem mão-de-obra. Um estudo feito em São Paulo dá conta da existência de 241 rotas de tráfico no país.
Sem documentos para regressar
No nosso país, muitas destas mulheres ficam sem os documentos. Algumas são escravizadas, tendo de entregar quase tudo o que ganham aos proxenetas. Mesmo que queiram não podem regressar.

(Enfiam-nas em arcas frigoríficas!!!).

Anónimo disse...

e verdade sim senhor !
que o O ex-director da agência do Banco Mello das Antas, Porto, Nuno Espregueira Mendes, foi condenado a seis anos de prisão efectiva por burla agravada. A juíza presidente disse até que o "bancário" agiu, afinal, como um "banqueiro".

antiporkos

Anónimo disse...

Testemunho
Essa é, sem dúvida, uma das batotas do FCorrupto. Nos meus tempos de aluno de liceu (anos 80) tinha um amigo que ajudava um professor de Ed. Física na colecta de dados para as estatísticas do FCPorto. Essa colecta era feita no recinto de jogo. O meu amigo foi chamado várias vezes a urinar em vez de jogadores do FCorrupto. (Esse tipo era o José Neto prof do liceu de de Paços de Ferreira na altura).
Doping nos júniores ?
05.07.2007. Os portistas Rui Pedro e Fábio Pereira foram suspensos preventivamente porque, no final de um jogo entre o Benfica e FCPorto no dia 5 de Maio a contar para o campeonato nacional de Juniores foram ao balneário antes de comparecerem atrasados, ao controlo anti-doping, situação proibida pelos regulamentos antidopagem.

Anónimo disse...

Testemunho
Dopados? Olha, o Semedo saiu do porto um pouco a mal... foi logo caçado! (num controlo antidopagem) O Bandeirinha... uiui... o Jaime Magalhães acabou a carreira misteriosamente aos 31 anos... o André... acabou a carreira, começou a inchar como buda... curiosamente todos ficaram carequinhas bem novos... uiui tal era a bomba. o Fernando Couto saiu do porto... pimba. agora cada um que sai do porto começa a ter lesoes em serie... uiui Lucho, Lisandro... ficaram dependentes da amarelinha pois claro quando se controla a agencia anti-dopagem claro que nada aparece...
Qual é a diferença entre 10 e 15? Se estão dopados, basta um único controlo para detectar uma substância proibida. Mas isso é uma falsa questão que os andrades gostam de arremessar aos olhos das pessoas.

Anónimo disse...

O Augusto Inácio, presente na final de Tóquio, que foi jogado com uma temperatura de -1 ou -2, sobre neve, deu uma entrevista à revista Pública há alguns anos. Diz o seguinte: "Fiz um belíssimo jogo, que me correu bem do princípio ao fim. O encontro foi disputado em condições dificílimas com frio e neve. Mas neste jogo saiu-me tudo na perfeição: fiz bons desarmes, bons cruzamentos, bons remates (...). Depois daquele jogo o meu corpo DEMOROU UM MÊS A REGRESSAR AO RITMO NORMAL (...) NO FINAL FIQUEI MEIA HORA DEBAIXO DO CHUVEIRO QUENTE E MESMO ASSIM O CORPO NÃO REAGIU. NO INTERVALO A TREMIDEIRA ERA TÃO GRANDE QUE NÃO CONSEGUIA MANTER O CHÁ DENTRO DO COPO. ENTORNAVA-SE TUDO". (Era um frenesim, digo eu...)

Anónimo disse...

O Augusto Inácio, presente na final de Tóquio, que foi jogado com uma temperatura de -1 ou -2, sobre neve, deu uma entrevista à revista Pública há alguns anos. Diz o seguinte: "Fiz um belíssimo jogo, que me correu bem do princípio ao fim. O encontro foi disputado em condições dificílimas com frio e neve. Mas neste jogo saiu-me tudo na perfeição: fiz bons desarmes, bons cruzamentos, bons remates (...). Depois daquele jogo o meu corpo DEMOROU UM MÊS A REGRESSAR AO RITMO NORMAL (...) NO FINAL FIQUEI MEIA HORA DEBAIXO DO CHUVEIRO QUENTE E MESMO ASSIM O CORPO NÃO REAGIU. NO INTERVALO A TREMIDEIRA ERA TÃO GRANDE QUE NÃO CONSEGUIA MANTER O CHÁ DENTRO DO COPO. ENTORNAVA-SE TUDO". (Era um frenesim, digo eu...)

Anónimo disse...

Ajuda do Benfica ao Porto (Outros tempos!)
Parece impossível, mas não. É mesmo verdade. Foi a receita do clássico de 3 de Abril de 1960 que salvou o FC Porto do descalabro financeiro. Pelo meio houve um dirigente portista que pediu auxílio financeiro aos dirigentes Benfiquistas. Acabou despedido.
Entre 1959 e 1960, período em que se sagrou campeão nacional pela última vez antes de uma seca de 19 anos, o FC Porto perdeu 7 mil sócios. Luís Ferreira Alves, o presidente, demitiu-se e lamentou-se no seu último dia: "O FC Porto paga mal a quem o serve". Semelhanças com as últimas lamentações de Vitor Baia? Muitas. Nesta época o FC Porto tinha cerca de 500 contos ordenados em atraso com os seus futebolistas, uma barbaridade para a época. Com a demissão de Luís Ferreira Alves coube a uma comissão administrativa presidida por Ângelo César, tomar contas dos destinos do clube.
Aproximava-se o FC Porto-Benfica para a 23ª jornada do campeonato nacional, a 3 de Abril de 1960, e Aníbal Abreu, dirigente azul e branco da referida comissão, emitiu um telegrama de pedido de ajuda financeira. O destinatário era Maurício Vieira de Brito, presidente do Benfica, o conteúdo era simples: que os encarnados prescindissem da sua parte da receita a favor do desvalido FC Porto. Ângelo César, ao tomar conhecimento do sucedido, reagiu de pronto e com enorme dignidade (não se esqueçam que eram outros tempos) enviou também ele um telegrama a Aníbal Abreu: "Acabo de tomar conhecimento do telegrama enviado ao presidente do Benfica. Rogo V. Exa. apresente pedido de demissão por esta via. Se não, demiti-lo--emos. O FC Porto, embora atravesse uma situação francamente delicada, não precisa de pedir esmolas. A atitude do sr. Aníbal Abreu deixou-nos a todos indignados e o Benfica terá achado o seu pedido uma autêntica loucura, um disparate sem pés nem cabeça."