quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Culpado !

Longe da protecção da LPFP, o treinador da agremiação corrupta não teve outra solução que não a de admitir a culpabilidade na agressão a um agente da autoridade.

O técnico do Benfica, Jorge Jesus, vai pagar 25 mil euros a "duas instituições de solidariedade social" e 500 euros ao agente da PSP por si agredido após a partida Vitória de Guimarães-Benfica.
De acordo com um comunicado divulgado nesta quarta-feira pela a Procuradoria Distrital do Porto, Jesus aceitou pagar este valor para garantir a suspensão do processo movido contra si pelo Ministério Público, que será arquivado caso o técnico do Benfica faça o pagamento das multas e não reincida num crime da mesma natureza. 
"Obtida também a necessária concordância judicial, foi o processo de inquérito, quanto ao referido treinador principal, suspenso pelo prazo de oito meses, prazo durante o qual deverá dar cumprimento às seguintes injunções: Entrega de satisfação pecuniária ao lesado, agente da PSP, no valor de 500 euros", refere o documento da Procuradoria Distrital do Porto. 
Jesus fica também obrigado ao "pagamento de 25 mil euros a duas instituições de solidariedade social identificadas - 12.500 a cada uma delas -, uma com atuação na área da saúde, outra na área do apoio à criança". 

O "pagamento ao Estado das despesas relacionadas com a assistência médica prestada ao agente de autoridade [Polícia de Segurança Pública] no valor total de 75,66 euros" e ainda "pagamento das despesas realizadas com o exame pericial de avaliação do dano corporal, no valor de 71,40 euros", completam a pena do técnico benfiquista. 
"Se o arguido cumprir as referidas injunções e não cometer, durante o prazo da suspensão, crime da mesma natureza, o processo será arquivado. Caso contrário, o processo prosseguirá para julgamento", refere ainda o comunicado do Ministério Público. 
Quanto às acusações que pendiam sobre o treinador-adjunto do Benfica, Raul José, o Ministério Público "determinou o arquivamento do inquérito". 
Jorge Jesus já tinha sido suspenso por 30 dias pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), na sequência dos incidentes após o jogo em Guimarães, da quinta jornada da I Liga. 
No final do jogo com o Vitória de Guimarães, disputado em 22 de setembro do ano passado, Jorge Jesus intrometeu-se numa ação da polícia que tentava travar adeptos benfiquistas, que invadiram o relvado vimaranense para celebrar a vitória do Benfica, por 1-0. 
Na sequência destes incidentes, decorre ainda um processo judicial, tendo o técnico sido ouvido na segunda-feira no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP), em Lisboa, na sequência de uma carta precatória enviada para Lisboa pelo Tribunal de Guimarães, onde o inquérito corre na 2.ª secção do Ministério Público (MP). 

1 comentário:

F.C.Porto Ontem, Hoje, Sempre! disse...

http://fcportoontemhojesempre.blogspot.pt/2014/02/esquemas-engenhosos.html